Dra. Andressa no Youtube

Artigos & Informações

Dra. Andressa no Facebook

1 dia atrás

Endocrinologia em dia

Alimentos para ajudar na compulsão alimentar

Você sabe quais alimentos podem ajudar a controlar compulsão alimentar? O comportamento alimentar compulsivo é caracterizado pela ingestão de grande quantidade de alimentos em um período de tempo curto, que pode ser acompanhado da sensação de perda de controle sobre o quê ou o quanto se come. O grande problema deste comportamento é que as pessoas podem ganhar peso se este hábito é comum, e há também o risco de desenvolvimento de problemas de saúde como diabetes e colesterol alto.

Muitas vezes o comportamento compulsivo surge como resultado de um padrão de ansiedade, mas também sabemos que ele se acentua se a pessoa permanece longos períodos em jejum. O hábito de não se alimentar com fibras, ou pular o café da manhã favorece que a pessoa chegue em determinados horários, e geralmente, no final do dia, com muita fome. E a tendência é então exagerar ingerindo uma grande quantidade de calorias.

Para o tratamento de episódios de compulsão muitas vezes poderá ser necessário o uso de medicamentos. No entanto, alguns alimentos podem ajudar sim. Alimentos ricos em um aminoácido chamado triptofano, que é utilizado pelo cérebro junto com a vitamina B3 – a niacina – para produzir serotonina, vão te ajudar a melhorar a sensação de bem-estar durante o dia. Além disso, a ideia é combinar esses alimentos com fontes de fibras, para aumentar a saciedade. Quer alguns exemplos de alimentos ricos em triptofano? (Fique ligado pois amanhã tem mais post falando desse importante aminoácido!)

1) Amendoim: 7 mg em 100 g
2) Castanha de caju: 5,5 mg em 100 g
3) Carne de frango: 4,9 mg em 100 g
4) Clara de ovo: 4,9 mg em 100 g
5) Ervilha: 3,7 mg em 100 g
6) Couve-flor: 0,9 mg em 100 g
7) Banana: 0,3 mg em 100 g
... Veja maisMostrar menos

Veja no Facebook

2 dias atrás

Endocrinologia em dia

O que significa dosar a Vitamina D no sangue?

Existem duas formas de vitamina D que podemos dosar no sangue: a 25OH vitamina D, que é o colecalciferol, e a 1,25OH vitamina D. E é aí que esse “1” a mais faz toda diferença, pois essa é a forma ativada da vitamina D beeemmmm diferente da 25OH vitamina D em termos de análise de condições de falta de vitamina ou necessidade de reposição.

Para saber a sua quantidade de vitamina D no organismo usaremos a dosagem de 25OHvitamina D, pois sua duração dentro do organismo é maior. A forma ativa de vitamina D, a 1,25OH vitamina D se o rim funcionar normalmente, quase sempre estará na faixa de normalidade. Essa forma 1,25 só necessita ser dosada em casos muito graves de falta de vitamina D, em doenças dos rins, e em doenças dos ossos, como a osteomalácia.

Tudo isso explicado, então você precisa lembrar que quando for dosar a vitamina D, é a forma 25OH que será dosada, a forma de estoque.

Os níveis normais são acima de 20 ng/dL. Ah, e claro consulte sempre seu médico antes de tomar qualquer suplementação de vitaminas!
... Veja maisMostrar menos

Veja no Facebook

× WhatsApp