Dra. Andressa no Youtube

Dra. Andressa no Instagram

Artigos & Informações

Dra. Andressa no Facebook

15 horas atrás

Endocrinologia em dia

Oxitocina: o hormônio do amor

A oxitocina é um hormônio produzido na hipófise, que é a principal glândula do organismo, localizada no cérebro. A função mais conhecida deste hormônio é a de estimular a contração do útero na hora do parto. No entanto, a oxitocina não é exclusiva das mulheres, os homens também fabricam este hormônio.

A oxitocina é liberada com o contato pele a pele. Quando as pessoas abraçam ou beijam um ente querido, os níveis de oxitocina aumentam por isso ela é conhecida como hormônio do amor. Pesquisas recentes mostraram que a oxitocina causa um amplo espectro de efeitos comportamentais e fisiológicos mediados por receptores no cérebro, tais como comportamentos materno, sexual e social. Dentre esses efeitos, observa-se que a oxitocina facilita a relação com os outros e está associada a comportamentos sociais positivos, por isso sua relação com a felicidade e na formação dos laços de amor. Além disso, há liberação de oxitocina quando existe a formação de uma relação de confiança entre as pessoas.

O interesse recente na oxitocina abriu um novo horizonte para entendermos o funcionamento cerebral e as relações humanas. Estudos encontraram entre as ações cerebrais da oxitocina o efeito positivo no desenvolvimento de estados de autoconfiança e empatia. Quanto mais alto os níveis de oxitocina no sangue, maior é a sensação de bem-estar.
Quer liberar oxitocina? É só abraçar quem você ama, superfácil!

Quer saber mais? www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5734372/
... Veja maisMostrar menos

Veja no Facebook

2 dias atrás

Endocrinologia em dia

Intestino saudável, lá vem serotonina

Segundo as pesquisas, ter um intestino saudável é vital para a produção de serotonina. Para isso, é importante incluirmos alimentos ricos em probióticos e prébióticos na dieta e limitarmos os alimentos que alteram negativamente as bactérias do intestino, como adoçantes artificiais, gorduras trans e açúcares processados e refinados.

Os prébióticos são: goma guar, inulina, psylium, metilcelulose, frutooligossacarides, dentre outros. A goma guar é o prébiótico com maior capacidade de produzir ácidos graxos de cadeia curta - e alimentar o nosso intestino. Além disso, os prébióticos equilibram a produção de muco no intestino e estimulam o sistema imune, induzem a produção dos hormônios de saciedade intestinais, e reduzem o PH facilitando a absorção de minerais, como o cálcio.

Os compostos probióticos são feitos de bactérias que vivem no nosso intestino. Há vários produtos no mercado e também manipulados contendo bactérias com potenciais benefícios no reequilíbrio da flora intestinal. No entanto, apenas algumas dezenas de cepas bacterianas foram realmente testadas em humanos. A maioria dos estudos sobre probióticos tem sido feita com lactobacilos e bifidobactérias, que são a classe predominante de bactérias em produtos comerciais. Os probióticos são geralmente encontrados em produtos lácteos de leite fermentado que tenham lactobacilos em sua composição, como o próprio Kefir, o Kombucha, alguns tipos de queijo e coalhada. O Missô - aquela pasta fermentada de soja da culinária japonesa - também é fonte de probióticos.

Quer saber mais? www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6047317/
... Veja maisMostrar menos

Veja no Facebook

× WhatsApp