Dra. Andressa no Youtube

Dra. Andressa no Instagram

Artigos & Informações

Dra. Andressa no Facebook

13 horas atrás

Endocrinologia em dia

Cada um tem seu ritmo de sono. Uns gostam de acordar bem cedinho, outros nem tanto. Isso define o que chamamos de Cronotipo. O Cronotipo é uma característica individual que se refere ao comportamento da pessoa em relação ao sono. Pesquisas sugerem que pessoas que tendem a ter o cronotipo vespertino – ou seja, dormem até mais tarde – tem maiores chances de desenvolver diabetes, síndrome metabólica e perda de massa muscular. Os pesquisadores da Universidade de Berkeley, na Califórnia, Estados Unidos, estudaram adolescentes e adultos que iam para a cama mais tarde e também acordavam mais tarde. E a conclusão foi de que, comparados com os madrugadores, os corujinhas tinham maiores chances de ganho de peso.

É como se os madrugadores, tivessem o ciclo hormonal mais adaptado e de certa forma mais ajustado para responder às oscilações dos níveis de açúcar e do hormônio cortisol, que é o nosso hormônio do estresse. Sabe-se, por exemplo, que o cortisol é liberado assim que despertamos, e que teoricamente se você acorda cedo, sua liberação de cortisol poderia ocorrer de forma mais harmônica ao longo do dia – o que ajudaria a controlar os níveis de açúcar e regular o metabolismo mais facilmente. Já quem acorda mais tarde, e a liberação de cortisol ocorre no meio do dia, teria os níveis de cortisol elevados por períodos maiores. E justamente este desbalanço relativo na liberação do cortisol e outros hormônios, como a melatonina, poderiam explicar este risco mais elevado de doenças como Diabetes e Síndrome Metabólica.

REf: Lauren D. Asarnow, e colaboradores. Evidence for a Possible Link between Bedtime and Change in Body Mass Index. SLEEP, 2015; 38 (10): 1523 DOI: 10.5665/sleep.5038
... Veja maisMostrar menos

Veja no Facebook

1 dia atrás

Endocrinologia em dia

Vamos falar mais de melatonina?

Ela tem ficado muito na moda nos últimos anos. A melatonina, um hormônio produzido pela glândula pineal no cérebro, tem seu papel em manter o relógio interno do nosso corpo.

A principal função da melatonina é, à medida que seus níveis aumentam à noite, você fica mais sonolento. E quando os níveis de melatonina diminuem e você fica cada vez mais alerta.

Vários alimentos contém melatonina naturalmente. Tomates, azeitonas, arroz, cevada, morangos, cerejas e leite de vaca. Isso explica por que um copo de leite quente antes de dormir é um remédio caseiro comum para a insônia. E melatonina serve apenas para dormir? Não, sua função vai muito além disso.

Um artigo publicado recentemente na conceituada revista médica da American Diabetes Association traz uma pesquisa desenvolvida aqui no Brasil do grupo de Obesidade e Síndrome Metabólica do Hospital das Clínicas da Universidade de são Paulo.

Foram estudados 4 pacientes que devido à retirada da pineal não tinham mais produção de melatonina em seus organismos. Eles receberam reposição de melatonina e seus níveis de tecido adiposo marrom foram avaliados antes e depois. Em todos os pacientes os níveis de tecido adiposo marrom aumentou. Esse tecido, apesar de armazenar gordura, a utiliza para gerar calor, e portanto seria uma forma de manter o peso e o corpo aquecido. Apesar do pequeno número de pacientes da pesquisa, pois tumores de pineal são muito raros, ela abre portas para entendermos se a falta funcional de melatonina – daquelas pessoas que tem pineal mas ficam com luzes artificiais até mais tarde – poderia justificar uma tendência maior de ganho de peso.

Quer saber mais?

www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5135/tde-31102018-131724/pt-br.php
... Veja maisMostrar menos

Veja no Facebook

WhatsApp